ENFRENTE seus medos

Revista Saúde – Ed. 307 – Partes

É possível treinar o cérebro a manter a calma mesmo diante de situações muito estressantes. Isso também contribui para afastar os riscos do excesso de ansiedade, que limita a vida e faz sofrer.

Porém uma boa pergunta é: quando esse treinamento e exercício seria desejável? Afinal, o medo é um mecanismo vital para a sobrevivência humana. Na opinião do médico Paulo Bertolucci, chefe do Setor de Neurologia do Comportamento da Universidade Federal de São Paulo, a Unifesp, essa emoção merece tratamento quando impede a execução de atividades do dia-a-dia e causa sofrimento. “O indivíduo não pode ser governado pelos seus medos”, diz ele. “Quando vira refém, deve procurar ajuda depressa.” E aí seria ótimo se tivesse a chave desses centros apaziguadores na massa cinzenta.

Os medos patológicos são geralmente pavores irracionais, que paralisam o indivíduo ou, ao contrário, o levam a ter reações desproporcionais em relação à ameaça. No jargão médico, esse quadro é rotulado como transtorno de ansiedade.

Uma das mais eficazes ferramentas da medicina contra situações desesperadoras é a terapia cognitivo-comportamental. Ela proporciona um treino à mente para resgatar a sensação de segurança. Por meio dela o paciente se condiciona a enfrentar o medo ao mesmo tempo que recebe estímulos positivos para lidar com seus pensamentos. “O primeiro passo é fazer com que o indivíduo deixe de associar o objeto temido à catástrofe”, explica o professor Nardi, da UFRJ. “Depois ele passa a ter contato real com as situações que despertam seus temores”.

Em casos de medos leves, técnicas de relaxamento e respiração, além de atividade aeróbia, ajudam bastante. Mas o enfrentamento gradual do medo ainda é a maneira mais eficaz de superá-lo.

A ajuda profissional é importante, porque definir o ritmo de exposição ao que gera pavor não é simples. Se o processo for rápido ou lento demais, não funciona. Uma coisa é certa: na hora da tensão, você precisa saber o que lhe traz uma sensação de segurança.

Por Giuliano Agmont

Dica: por experiência própria e também por resultados obtidos em clientes, a terapia floral ajuda muito no enfrentamento dos medos. =) Tati

22 de agosto de 2019
21 de agosto de 2019

Nenhum Comentário

Deixe um comentário.